Larissa Fernandes

Eu sou a Larissa, Larissa Fernandes. Sou moradora da região metropolitana de Porto Alegre, RS. Tenho 15 anos e ainda sou estudante do ensino médio.

Meu intuito com meus textos é passar toda informação que foi retirada do nosso povo ao longo de anos, e depositar esse conhecimento que tentam até hoje apagar.

Gosto de falar sobre afro estima, pois é algo que interfere (e acredito) que não só na minha vida, mas de todos outros negros. Acredito que conhecimento muda o mundo. O conhecimento é capaz de destruir barreiras que foram criadas ao longo dos anos, mas principalmente, é capaz de trazer o amor de volta, o amor de um povo que sempre foi símbolo da feiúra e de uma beleza não reconhecida muita das vezes nem por eles próprios.

Ao longo dessa trajetória botei em prática a iniciativa de querer lutar como se eu tivesse o poder de mudar o mundo, e já me cobrei demais por isso. Hoje, eu luto como se eu fosse mudar o pensamento de uma única pessoa, como se eu fosse agregar algo na vida de um único indivíduo, podem ser até poucas, mas mudando pelo menos uma, eu sinto que faço a diferença.

O conhecimento me mudou, acredito que vá mudar positivamente mais ainda, pois o ser humano está sempre em processo de evolução. Eu passo o conhecimento para as pessoas, porque ele me proporcionou tudo o que me tiraram, eu passo o conhecimento para as pessoas negras porque eu quero que ele traga de volta o amor próprio, a autoconfiança e o ato de ser a sua própria referência.

Clenora Hudson-Weems procurou criar uma ideologia específica para mulheres africanas e afro-descendentes, acreditando que a sua criação separa as realizações das mulheres africanas dos intelectuais africanos, do feminismo e do feminismo negro. Na tentativa de evitar ser agrupada com outros grupos de pessoas, Hudson-Weems decidiu que era hora das...