"Negros venderam negros"

10/12/2020

Quando uma nação é invadida, sempre há três categorias de resposta ao invasor. Há aqueles que resistem até o fim, há aqueles que colaboram com a força porque não têm outra escolha e há traidores que cooperam de boa vontade com o inimigo. Abaixo você pode ver a imagem do Marechal Pétain, que liderou a França, apertando a mão de Hitler após este ter invadido seu país após apenas oito meses de guerra! A França sob Pétain colaborou com a Alemanha e entregou seus cidadãos ao Terceiro Reich. Principalmente os judeus eram carregados nos vagões da companhia ferroviária francesa SNCF. Mas nunca ouvimos dizer que os franceses são responsáveis ​​pela Shoah (o Holocausto judeu) ou ainda melhor: que os brancos entregaram os brancos.

Quando um evento como esse acontece, a história sempre é contada comparando os três grupos de pessoas com suas reações. No caso da África durante a escravidão europeia, é como se houvesse apenas traidores. Nem se tem vergonha de chamá-los de traidores, porque, sabe, é normal que os africanos se vendam desde o início dos tempos.

O chefe de estado italiano Mussolini foi o mentor de Hitler no início deste último. O chefe de estado espanhol, Franco, era um aliado passivo de Hitler. De todas as principais nações europeias, a única que resistiu até o fim foi a Grã-Bretanha com Churchill, e isso se deve em parte à sua situação geográfica. Isolado, era difícil dominar a Grã-Bretanha. Toda a Europa tem colaborado com Hitler, mas hoje especialmente mencionam que Hitler é responsável pelo Holocausto e 50 milhões de mortes, o que é normal.

Os europeus capturaram esmagadoramente outros europeus para vendê-los aos árabes durante séculos, tendo Veneza como trânsito. Nunca soubemos que brancos vendiam brancos aos árabes. Os europeus tiveram batedores nativos americanos durante a conquista da América, mas nunca vimos em qualquer lugar escrito que os nativos americanos exterminaram os nativos americanos. Durante a guerra na Argélia, os argelinos chamados Harkis, lutaram no exército francês contra seu próprio país. Nunca ouvimos dizer que árabes e berberes são responsáveis ​​pelo genocídio colonial na Argélia. Ao longo da história, sempre existiram traidores e infelizmente não escapámos à regra durante o comércio de escravos europeu.

Os europeus se venderam aos árabes durante séculos. Este comércio oculto é a principal explicação para o branqueamento do Magrebe. Os brancos venderam os brancos?

A diferença em nosso caso é que ninguém fala em resistências. Ninguém fala de somalis, quenianos, tanzanianos e moçambicanos que durante quase um século resistiram à morte contra os portugueses, cidade a cidade, rua a rua, que viram um dos seus reis ser decapitado e os seus ricos estados destruídos com canhões. Ninguém fala dos 40 anos de resistência da Rainha Nzinga que conseguiu conter a força europeia em Angola. Ninguém fala das cartas do rei Nzinga Mbemba que reclamavam o corpo e clama pelo fim do tráfico. Ninguém fala sobre o rei Badu Bonsu de Gana, que obviamente matou traficantes de escravos holandeses antes de ser decapitado pelos europeus. Ninguém fala sobre o rei Almamy da Senegâmbia que jurou matar e massacrar todos os escravos em seu solo. Ninguém fala dos Soninkes e outros Mandingos que se aliaram para lutar contra os europeus etc ... Não, o mundo só guardou a memória que quando os europeus chegaram à África, encontraram bons reis selvagens que colocaram homens, mulheres e crianças na costa. com o sinal: "à venda".

Pode-se perguntar por que e como eles conseguiram nos culpar a morte e sequestro de 400 milhões de nossos. O fato é que não somos considerados humanos. Já se passaram 500 anos desde que saímos da humanidade, que a Europa nos rebaixou à categoria de animais. Portanto, tudo o que é impossível dizer de outros povos, é aceitável para os negros, civilizadores da humanidade transformados em animais há 500 anos.

Portanto, algo deve ficar claro para todos, em qualquer situação de agressão, o principal responsável é o patrocinador. Lideramos resistência em abundância em todo o continente e devemos parar de dizer que somos responsáveis ​​pelo tráfico de escravos. Finalmente, só nós, como africanos de ambos os lados do Atlântico e vítimas, temos o direito de escrever sobre o nosso passado, porque como disse Mama Miriam Makeba "não espere que as pessoas que vieram nos invadir, escrevam a verdade sobre nós".

Os verdadeiros culpados do tráfico de escravos devem aceitar seu erro e parar de jogar a culpa de seu crime nos outros, isto é, nas vítimas.

PS: Havia 150.000 judeus no exército de Hitler, mas ninguém neste mundo diria que os judeus são responsáveis ​​por seu Holocausto.