Nandi ka Bhebhe

28/05/2020

Era mãe de Shaka Zulu, um dos maiores reis do reino zulu, na África do Sul. A história da rainha Nandi é de resiliência como mãe e contra as pressões sociais. Ela ficou grávida de Senzangakhona, rei do povo zulu mas a criança que foi considerada ilegítimo. Em consequência, ela sofreu grande humilhação e rejeição social, e teve que proteger seu filho da fome, tentativas de assassinato e inimigos. Quando Shaka foi nomeado chefe dos zulus, ele fez de Nandi a rainha do clã e sua conselheira. Com o passar dos anos, Shaka começou a tratar sua mãe com reverência, quase como uma figura divina Nandi permaneceu conselheira de Shaka exercendo estimulando a resistência do povo zulu contra os colonizadores europeus. Morreu em 10 de outubro de 1827 e o reino entrou em um longo período de luto conhecido como "Isililo SikaNandi". Shaka ordenou que nenhuma plantação fosse cultivada durante um ano, nenhum leite (a base da dieta zulu, na época) deveria ser usado, e qualquer mulher que engravidasse seria morta junto com o marido. As vacas foram abatidas para que seus filhotes soubessem o que é perder uma mãe.


fonte: https://ensinarhistoriajoelza.com.br/mulheres-africanas-rainhas-guerreiras-e-lideres-espirituais/ - Blog: Ensinar História - Joelza Ester Domingues