Bell Hooks

26/12/2019

A escritora, professora e crítica cultural bell hooks nasceu Gloria Jean Watkins em 25 de setembro de 1952, em Hopkinsville, Kentucky, de uma família pobre da classe trabalhadora. Seu pai, Veodis Watkins, era zelador dos correios locais e sua mãe, Rosa Bell Watkins, era dona de casa, criando Gloria e seus seis irmãos.

Gloria Watkins frequentou escolas públicas racialmente segregadas em Hopkinsville quando criança. Ela fez leituras de poesia para a comunidade da igreja e foi fortemente influenciada por sua bisavó, Bell Hooks, conhecida por suas opiniões afiadas. Como escritora, ela escolheu os ganchos de pseudônimo em homenagem a sua mãe e bisavó. Ela decidiu não capitalizar seu novo nome para colocar o foco em seu trabalho e não em seu nome, em suas idéias e não em sua personalidade.

Watkins estudou na Universidade de Stanford. Ela se formou em 1973 e foi para a Universidade de Wisconsin em Madison, onde obteve um mestrado em literatura inglesa em 1976. Em 1983, obteve seu doutorado. na Universidade da Califórnia-Santa Cruz, tendo concluído sua dissertação sobre o trabalho da romancista Toni Morrison.

Frustrada pela falta de interesse em questões raciais por acadêmicas mulheres brancas e questões de gênero por acadêmicos negros, ela escreveu seu primeiro livro importante, Não sou uma mulher: mulheres negras e feminismo (1981). Neste livro, ela centralizou a interseção de raça, sexo e classe no centro da vida das mulheres negras. Ela argumentou que cada identidade tem a capacidade de produzir e perpetuar sistemas de opressão e dominação. O livro a estabeleceu como uma crítica formidável e intelectual, e expôs alguns dos temas centrais que caracterizaram seu trabalho posterior.

Hooks aceitou um compromisso conjunto em estudos de inglês e afro-americano na Universidade de Yale em 1985. Em 1988, ela começou a lecionar no Oberlin College, em Ohio. Em 1989, ela publicou Talking Back: Thinking Feminist, Thinking Black , que focava no impacto da dominação imperialista e patriarcal branca na vida cotidiana. Em 1994, ela aceitou o prestigiado cargo de Professor de Literatura Inglesa no City College de Nova York.

Uma estudiosa apaixonada, hooks está entre os principais intelectuais públicos de sua geração. Ela publicou mais de 30 livros e artigos acadêmicos, em tópicos como masculinidade e patriarcado, autoajuda e pedagogia engajada, consciência feminista e criação de comunidades, representação e política.