Keilla Villa Flor 

Keilla Vila Flor, tem 23 anos, nasceu em Alagoinhas (BA), mas mora em Brasília (DF). É Historiadora formada pela universidade de Brasilia, professora -já trabalhou com projetos sobre Questões Raciais e Sexualidade; e Memória da Ditadura Militar Brasileira em escolas públicas do DF. É também palestrante, modelo e trabalha com ativismo nas redes sociais.

"No plano da informalidade, o sentimento, a emoção, a "preferência" pela inegável participação cultural do negro na sociedade brasileira é expressa com frases do tipo: "eu tenho um parente que só melhorou quando foi para umbanda", "minha babá é negra e está conosco desde que minha mãe era pequena". Trata-se de atitudes compulsórias para apagar o...

"A pluralidade racial nascida do processo colonial representava, na cabeça dessa elite, uma ameaça e um grande obstáculo no caminho da construção de uma nação que se pensava branca; daí porque a raça se tornou o eixo do grande debate nacional que se tratava a partir do fim do século XIX e que repercutiu até meados do século XX."

"Já os fantasmas e ancestrais familiares estavam por toda parte, da menor à maior folha de árvore, no menor parafuso ao maior dos prédios, se agitando no interior de toda tecnologia de Ketu Três: carros voadores, trens fantasmas, telefones psíquicos, computadores e tablets que dava acesso à teia espiritual."

Poesia Preta

19/05/2020

Poesia preta!
"Identidade
Aceite os seus cabelos, corpo, olhos, sorriso, tom de pele.
O outro é apenas um outro almejando um espelho.
Não compita estereótipos.
Gostar é uma questão óptica.
Relativamente em órbita.
Não precisamos de nada em troca.
Nada disso importa"
Com a poesia "Identidade", do livro "Escritos Morgados", lhes...

"Eu não sei afirmar qual foi o exato momento em que decidi escrever sobre o extermínio da juventude negra, mas seu dizer o dia que eu tinha certeza que esse era o tema da minha pesquisa: no dia 2 de abril de 2015, Eduardo de Jesus Ferreira, de 10 anos, foi morto na porta de casa, no Complexo do Alemão...

"Cheguei ao pensamento feminista desafiando a dominação masculina em nosso lar patriarcal. Mas simplesmente ser vítima de um sistema explorador e opressor e até mesmo resistir a ele não significa que entendemos por que ele existe ou como mudá-lo." Esse é um trecho tirado do 2° capítulo do livro: O Feminismo é para todo mundo - políticas...

"Essa transição das queridas escolas exclusivamente negras para as escolas brancas aonde os alunos negros eram vistos como penetras, com gente que não deveria estar ali, me ensinou a diferença entre a educação como prática de liberdade e a educação que só trabalha para reforçar dominação." Esse é um trecho retirado da introdução do livro que está...

Compaixão

23/09/2019

"O poder legislativo nunca aprovará qualquer lei que autorize ou legalize qualquer casamento entre qualquer pessoa branca e um negro ou descendente de negro" - é com essa citação do estatuto antimiscigenação, de 1967, do estado de Virgínia-EUA, na página 36, que eu te convido a ler o livro "Compaixão" da editora @redtapioca.