Keilla Villa Flor 

Keilla Vila Flor, tem 23 anos, nasceu em Alagoinhas (BA), mas mora em Brasília (DF). É Historiadora formada pela universidade de Brasilia, professora -já trabalhou com projetos sobre Questões Raciais e Sexualidade; e Memória da Ditadura Militar Brasileira em escolas públicas do DF. É também palestrante, modelo e trabalha com ativismo nas redes sociais.

Poesia Preta

19/05/2020

Poesia preta!
"Identidade
Aceite os seus cabelos, corpo, olhos, sorriso, tom de pele.
O outro é apenas um outro almejando um espelho.
Não compita estereótipos.
Gostar é uma questão óptica.
Relativamente em órbita.
Não precisamos de nada em troca.
Nada disso importa"
Com a poesia "Identidade", do livro "Escritos Morgados", lhes...

"Cheguei ao pensamento feminista desafiando a dominação masculina em nosso lar patriarcal. Mas simplesmente ser vítima de um sistema explorador e opressor e até mesmo resistir a ele não significa que entendemos por que ele existe ou como mudá-lo." Esse é um trecho tirado do 2° capítulo do livro: O Feminismo é para todo mundo - políticas...

"Essa transição das queridas escolas exclusivamente negras para as escolas brancas aonde os alunos negros eram vistos como penetras, com gente que não deveria estar ali, me ensinou a diferença entre a educação como prática de liberdade e a educação que só trabalha para reforçar dominação." Esse é um trecho retirado da introdução do livro que está...

Compaixão

23/09/2019

"O poder legislativo nunca aprovará qualquer lei que autorize ou legalize qualquer casamento entre qualquer pessoa branca e um negro ou descendente de negro" - é com essa citação do estatuto antimiscigenação, de 1967, do estado de Virgínia-EUA, na página 36, que eu te convido a ler o livro "Compaixão" da editora @redtapioca.

"Se no imaginário social da ideologia da mestiçagem, a mulher branca é para a manutenção da brancura e a mulher negra e/ou mestiça é para o branqueamento, qual seria o lugar do homem negro? Essa perspectiva das relações entre homens e mulheres passa a ter como pano de fundo um confronto masculino por acesso a elas, e seria, em larga...

"Ele informou que era o melhor lugar na cidade onde um homem de cor poderia ter uma refeição decente. Então perguntei por que alguém não abria na cidade um lugar onde pessoas de cor respeitáveis e com dinheiro pudessem se acomodar. Ele respondeu: "Não daria lucro. Todas as pessoas de cor respeitáveis comem em suas casas, e as poucas que...

"Uma vez que a maioria das pessoas negras a Corte já era livre ou liberta e que em questão de pouco tempo a legalidade da escravidão certamente seria derrotada, um grupo de indivíduos negros tomou a iniciativa de criar, ainda em 1887, a Liga dos Homens de Cor, a fim de contribuir para que todos tivessem as condições necessárias ao...

"...é fácil para todos nessa sociedade agir como se pessoas negras e indígenas não sofressem um trauma contínuo. Ninguém fala sobre a dor que nossos ancestrais suportaram e carregam em seus corações e psiques, moldando nossa visão de mundo e comportamento social."